domingo, 12 de junho de 2011

O hippie e o evangélico

Um fazendeiro dono de muitas terras e de uma riqueza incontável tinha dois filhos.
O filho mais velho era evangélico e ajudava o pai na administração dos negócios.
O filho mais novo era hippie e passava boa parte do dia em contato com a natureza, com os animais da fazenda e com os empregados de seu pai.
O fazendeiro já estava velho e muito doente e então mandou chamar os dois filhos.
Os dois filhos se apresentaram diante do pai e o ouviram falar:
-Filhos, estou velho e doente, me sinto fraco, no cabo de minha vida, tudo o que tenho agora pertence a vocês dois. Metade para um e metade para o outro, façam o que o coração de vocês mandar.
Naquela mesma noite o velho fazendeiro morreu.
Então, os dois filhos distribuíram em igualdade os bens que seu pai adquiriu durante toda sua vida.
O evangélico tratou de ampliar os negócios.
Construiu um sítio para abrigar as igrejas em finais de semanas, fazer congressos G12 e outros tipos de congressos.
Construiu igrejas pela região.
Se tornou o principal pastor daquela região e muito conhecido em seu país.
Sua riqueza aumentou como nunca havia aumentado antes.
O seu irmão mais novo, o hippie, pegou toda a parte que lhe cabia e distribuiu aos empregados de seu pai que durante tantos anos lhe serviram com gratidão.
Também doou parte das terras para entidades carentes construírem casas populares, asilos, creches, abrigos, escolas, hospitais e ajudou todos os necessitados daquela região sobrando a ele apenas uma casinha e uma pequena horta onde ele tirava seu sustento.
O hippie pensava "num mundo onde a maioria não tem nada, eu não posso ser dono de muito, pois não sou melhor do que ninguém".
Enquanto seu irmão sempre pregava nas igrejas a necessidade da benção financeira e da prosperidade.

Seguindo isto, quem melhor empregou as riquezas do pai?

2 comentários:

Anônimo disse...

parabéns pelo texto !
muito bom

Teff disse...

Muito bom!